Antônio Paulo Freire

Cap11-278

Desde criança que eu faço trabalhos diferentes. Os outros meninos brincando, e eu com o canivete fazendo coisas. Em casa ninguém trabalhava assim, só eu. A primeira cabeça de coco eu fiz com dezesseis anos. Foi o rosto do homem que criou meu pai. Era coco normal: furei pra tirar a água e fiz a fisionomia dele. Depois foi que dei pra fazer as cabeças no coco-pebo, que é um coco atrofiado, sem carne. O difícil é conseguir o coco, o resto é fácil. Os meninos é que catam esses cocos por aí, pra mim. Sempre fiz minhas peças sem imitar nada nem ninguém. Um dia inventei uma cobra feita de pedaço de madeira leve, que se mexia toda. Quando muita gente começou a fazer, eu deixei. Fiz uma cobra, que também se mexia, saindo do oco do pau.

Localização

Cabedelo, Paraíba

Endereço

Cabedelo, Paraíba

Livros

O Reinado da Lua