Antônio Matos Alves

Cap11-283

Um dia eu tive um palpite – o salário estava muito baixo e eu não gosto de ver meus filhos passando fome. Da lembrança dos cágados grandes, que eu cansei de ver no sítio, tirei a ideia de fazer uma tartaruga de madeira e vendi logo pelo mesmo tanto de um dia de serviço. E dava pra fazer duas por dia! Larguei o emprego e peguei a fazer tartaruga. Minha cunhada desconsiderando: ‘Homem, vá procurar emprego!’ Mas continuei nas tartarugas. Tentei mais, fiz a primeira quantidade e vendi tudo. O pessoal começou a pedir e eu fui aperfeiçoando. Aí me senti montado na lei, na lei que eu fiz. Faço paturi, gente dançando, tatu grande e pequeno, sanfoneiro. Mas o que faço mesmo é a tartaruga.

Localização

Ceará, Fortaleza

Endereço

Fortaleza, Ceará

Livros

O Reinado da Lua